sexta-feira, 8 de março de 2019

9 motivos para você começar a trabalhar em coworking em 2019

Os benefícios do espaço compartilhado vão desde o aumento nos ganhos até uma vida com mais qualidade.

Se você anda pensando sobre como seria positivo dar uma sacudida na sua vida profissional — e, consequentemente, na sua rotina pessoal —, talvez seja a hora de você começar a trabalhar em coworking.

Mas se ainda te restam dúvidas sobre dar esse passo ou não, nós vamos te contar alguns dos motivos mais importantes para você fazer esse investimento em sua carreira.

Para você entender melhor alguns dos principais prós dos espaços compartilhados, vamos usar algumas das estatísticas levantadas a partir de uma pesquisa global feita com coworkers. Olha só:

1. Você vai completar suas tarefas no prazo combinado

64% dos coworkers se tornou mais capaz de completar suas tarefas a tempo

Um dos maiores problemas de quem trabalha em casa ou em lugares públicos é o excesso de distrações. E no coworking é diferente: todo mundo está lá para trabalhar. A energia e as distrações ao nosso redor acabam influenciando diretamente em nosso ritmo, disposição e produtividade.

2. Você terá melhores relações com as pessoas

91% dos coworkers revelou ter melhores interações depois do coworking

Não é só o networking que cresce quando você trabalha em um coworking. Uma coisa muito interessante é como você aumenta a sua habilidade de lidar com as pessoas em geral. Isso porque, em um espaço compartilhado, você vai conviver com profissionais de diferentes áreas, que talvez você não tivesse a oportunidade de conhecer nem mesmo em seu grupo de amizades.

3 – Você vai se sentir mais confiante

90% dos coworkers disse se sentir mais confiante depois do coworking

Não sabe-se ao certo por quê, mas provavelmente pela soma de todas as vantagens do espaço compartilhado, os coworkers acabam se sentindo mais confiantes depois de começarem a trabalhar em um ambiente como esse.

4. Você terá mais foco

68% dos coworkers afirmou que seu foco é melhor no coworking

Quem já trabalhou em um espaço compartilhado sabe como a energia do lugar é diferente. Você acaba por se contagiar com o clima de determinação e inovação, então o foco acaba melhorando também. É como se exercitar em uma academia ao invés de praticar um esporte sozinho: é totalmente perceptível a diferença quando existem pessoas ao seu redor. Uma acaba incentivando a outra, por mais diferentes que sejam os objetivos, e os resultados tendem a aparecer mais rápido.

5. Você sentirá mais criativo e inovador

71% dos coworkers confirmou que sua criatividade aumentou no espaço compartilhado

São vários os fatores que fazem com que a inovação flua melhor em um coworking: o contato com diversas profissões, as conversas diárias, o ambiente mais relaxado e vibrante que os demais escritórios, os eventos e encontros mais frequentes e assim por diante.


6. Você vai se sentir mais saudável e disposto

70% dos coworkers reportou que se sentiu mais saudável do que quando trabalhavam em um escritório tradicional

Se os escritórios tradicionais costumam ser estressantes, os coworkings apontam para a direção oposta. O ritmo costuma ser bem mais leve e inclui a possibilidade de trabalhar em horários não comerciais. Dessa forma, muitos coworkers acabam se sentindo mais dispostos e saudáveis e, consequentemente, mais produtivos. Coworking é, acima de tudo, qualidade de vida.

7. Você pode ganhar mais dinheiro

50% dos coworkers afirmou que seus ganhos cresceram

Existem duas possibilidades que podem te levar a ganhar mais dinheiro depois de você começar a atuar em um coworking: o networking, que te proporciona novas oportunidades de negócios, ou a sua produtividade, que tende a melhorar muito, te deixando com mais tempo para novas demandas.

8. Você vai se sentir mais motivado

82% dos coworkers confirmou que a motivação aumentou muito

A rotina é tão leve e dinâmica que não tem como não se sentir motivado! Ainda mais quando comparando o coworking com os escritórios corporativos ultrapassados ou com o home office que, pouco a pouco, vai nos deixando cheios de vícios e tentações para procrastinar.

9. Você vai ficar mais relaxado em casa

60% dos coworkers declarou que agora sente que relaxa mais quando está em casa

Quando você deixar o trabalho no trabalho, sua casa volta a ser o seu lar e, principalmente, um lugar para descansar. E o coworking preenche perfeitamente essa lacuna deixada pelos trabalhos a distância. No fim das contas, sua relação melhora tanto com o trabalho como com o seu espaço de descanso.

Já está convencido de que atuar em um coworking pode trazer inúmeras vantagens para o seu negócio?

Acesse esse link e conheça nosso parceiro Rex coworking
Compartilhe:
Continue Lendo →

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

Como usar as redes sociais para vender mais?



Você conhece alguém que não tenha acesso a internet? Essa ferramenta que mudou completamente as nossas vidas ao longo dos últimos anos serve, principalmente, para aproximar as pessoas entre si e facilitar o acesso às mais variadas informações, produtos e serviços. Por conta desse fenômeno, as redes sociais acabaram virando um grande local para reunir diversas pessoas dos mais variados interesses na internet! Seja compartilhando informações, opiniões ou até mesmo as famosas selfies, é notável que o comportamento das pessoas mudou e, consequentemente, o do consumidor também.

Em busca da adaptação à nova realidade virtual, as empresas começaram a entender que precisavam estar mais presentes onde seus clientes estão: nas redes sociais. O que muita gente não sabe é que muito mais do que presença, likes e compartilhamentos, as mídias sociais podem servir como um verdadeiro canal de fortalecimento de marca, divulgação de produtos e aquisição de novos clientes.

Mas apesar de parecer simples estar presente na rede, surge um questionamento: como utilizar as redes sociais para, além de tráfego e conseguir likes, gerar engajamento e vendas? É o que você vai descobrir lendo este artigo. Vamos lá?

As redes sociais na sua estratégia de marketing digital

Antes de mais nada, você sabe onde as redes sociais se encaixam na sua estratégia de marketing digital? Principalmente na etapa da atração. Encaixe? Etapa? Atração? É isso mesmo. Uma estratégia de marketing digital possui etapas que vão da atração até a venda, passando também pelas etapas de conversão e relacionamento, que estão no meio do processo formado pelo que chamamos de funil de marketing.

As redes sociais são utilizadas para atrair e se relacionar com seus clientes em potencial e é sobre essa estratégia que vamos falar. É importante que cada etapa seja cumprida para garantir o processo. Isso porque, em primeiro lugar, ela vai aumentar a visibilidade da sua marca, que estará presente nas principais mídias acessadas pelo seu público, gerando tráfego e engajamento se o conteúdo for direcionado, interessante e de qualidade.

Com as redes sociais é possível fazer o que antes não era: construir um relacionamento direto com o seu público, de forma descontraída e bastante presente, através dos comentários, mensagens curtidas e compartilhamentos, por exemplo. As redes sociais também influenciam no processo de compra, já que os seus clientes podem expor opiniões sobre os produtos e serviços que sua empresa oferece. Ou seja, atualmente o seu público é ativo, servindo como um porta voz e juiz da sua marca. Por isso a importância de se pensar numa estratégia bem traçada e feita com esmero.

O engajamento com as suas postagens pode aumentar o tráfego no seu site, fomentar a geração de novos contatos e até mesmo guiá-los às outras fases do funil em direção ao objetivo principal: vender mais!

Como atrair para vender nas redes sociais?

Agora que você já sabe que sim, é possível transformar engajamento em vendas nas redes sociais, descubra como fazer isso!

Presença

Como você já viu, a primeira coisa a fazer para avançar no funil de vendas através das redes sociais, é estar presente. Descubra quem é a sua persona, em quais redes sociais ela se faz presente e crie uma conta para o seu negócio nesses ambientes, pois ela fará sentido dentro da sua estratégia. Se a sua persona não acessa o Pinterest, por exemplo, não tem por que a sua marca estar presente nesta rede, certo?

Estratégia

No entanto, para alcançar vendas com as suas redes sociais não basta apenas estar presente. Você tem que definir uma estratégia clara para chegar ao seu objetivo. Por exemplo, você pode criar postagens legais no Facebook que levarão o seu visitante para uma postagem no seu blog, ou até mesmo para uma landing page específica, como: um teste ferramental ou uma demo de produto. Dessa forma, fica mais fácil construir vínculos de atração para fazer o lead em potencial avançar no funil.

Conteúdo relevante

Não há uma fórmula mágica para fazer o seu público engajar com a sua página, mas o caminho mais certeiro para isso é a criação de conteúdo relevante. Se uma pessoa tem interesse em sapatos, ela vai querer seguir páginas que falem de sapato de uma forma interessante e atrativa, se destacando da concorrência, não apenas tentando empurrar sapatos a todo custo. O ponto-chave é falar dos interesses do seu cliente e não apenas do seu produto em si.

Você pode divulgar notícias, criar conteúdo próprio em textos, vídeos, imagens, infográficos e até mesmo gifs, que fazem o maior sucesso! As opções são inúmeras e quanto mais atrativo e mais interessante, melhor! As pessoas vão se interessar e desejar compartilhar com seus amigos em suas redes sociais, podendo levar até mesmo a viralização!

Mas não espere que pouco conteúdo viralize e faça mágica. Produza e publique com ritmo e frequência, não deixando seu público muito tempo sem ter o que consumir. Cada rede social tem um perfil de frequência ideal e melhores horários para postagens, mas todas elas precisam ser alimentadas frequentemente para não caírem no esquecimento, principalmente aquelas que contam com algoritmos sofisticadíssimos como o Facebook.

Concorrência

Dentro de toda essa estratégia de atração de leads, você não pode deixar de observar o que a concorrência está fazendo. O que está dando certo? Como posso me inspirar? O que gera e não gera engajamento? Não tenha medo de stalkear (espiar) o concorrente e fazer uma pesquisa de mercado.

Ferramentas de gestão

Existe uma infinidade de ferramentas de gestão para as suas redes sociais. Através delas, é possível programar postagens, analisar métricas, descobrir quem parou de seguir o seu perfil, monitorar as menções à sua marca e criar respostas automáticas. Algumas dessas ferramentas são gratuitas, inclusive. Use-as para facilitar e profissionalizar as suas ações nas redes sociais!

Mídia paga

Redes sociais como Facebook, LinkedIn, Instagram e Twitter já possuem plataformas onde é possível criar anúncios com segmentação de público. Dessa forma, você pode anunciar exatamente para a sua persona, fazendo as suas campanhas terem uma taxa de sucesso muito maior. Vale a pena fazer um estudo de persona e criar anúncios em mídias pagas segmentado corretamente e direcionando para o estágio do funil que você deseja alcançar!

Social commerce

O social commerce permite que você utilize as suas redes sociais como uma verdadeira loja. A novidade legal que você não deve deixar de utilizar é o Shopping do Instagram. Com ele é possível adicionar um botão em suas fotos que irão direcionar o cliente para a página de compra do produto. O processo fica rápido, simples e sem a necessidade de intermediários!

Análise de resultados

Em qualquer estratégia de marketing digital é necessário estar sempre monitorando o resultado das suas ações, para analisar o que faz sentido ou não ser feito. Nas redes sociais é possível analisar os resultados através das plataformas e você deve explorar ao máximo essa possibilidade.

Descubra se está no caminho certo

Ao apostar na qualificação da sua estratégia de Gestão de Redes Sociais através da contratação de uma agência, você terá comprovação da eficiência do seu investimento através de relatórios completos. Suas redes sociais terão mais seguidores, mais compartilhamentos, conteúdos cada vez mais relevantes e, com isso, o aumento de visibilidade e até mesmo vendas!

Agora que você já sabe da importância de utilizar as redes sociais para o seu negócio, que tal conversar com nosso especialista de social media? Solicite agora o seu diagnóstico e saiba como aproveitar melhor as redes sociais para vender mais!
Compartilhe:
Continue Lendo →

terça-feira, 22 de janeiro de 2019

7 vantagens de um coworking para sua PME



Os coworkings chegaram no Brasil por volta de 2007. De lá pra cá movimento passou por um crescimento considerável. Hoje, são mais de 200 espaços neste modelo e, segundo o estudo do site Ekonomio em parceria com a B4i e a Coworking Brasil, cerca de 40% deles estão no estado de São Paulo. Pois bem, nesse cenário em que escritórios compartilhados crescem exponencialmente, as pequenas e médias empresas (PME) podem – e devem – utilizar desses espaços em benefício próprio, uma vez que a redução nos custos e despesas são os principais pontos a serem considerados.

Quer saber mais sobre essa parceria entre coworkings e empresas de pequeno e médio porte? Vem com a gente!

PME, por que mesmo aderir ao coworking?

Se você tem uma pequena ou média empresa, conhecer o modelo de trabalhos dos coworkings pode ser uma ótima opção. Não acha? Vamos detalhar aqui os motivos pelos quais você deve investir nos escritórios compartilhados. Mas de forma mais rápida e prática esta é uma experiência que lhe proporcionará redução de custos e aumentará seu contato com o mercado, ou seja, mais networking.

Senso coletivo

Dentro dos coworking o senso de coletividade tornam os empreendedores mais propensos a se ajudarem. Sim, o espaço físico é compartilhado, independente se você é freelancer, PME ou grande empresa. Mas nesse caso aqui o senso de coletividade que estamos falando é mais profundo, onde a ideia é que todos colaborem para a ascensão do outro.

Um ambiente assim é super estimulante para o funcionário que precisa criar a produzir. Ele consegue inspiração e abertura para trocas de ideias com outros coworkers. Mas quando necessário, ele também consegue o sossego necessário para se concentrar.

Economia criativa

E por falar em inspiração e criação, vamos falar da economia criativa!

O ambiente é propício para incentivar novas ideias, inclusive no ambiente de PME. O famoso pensar fora da caixa faz todo sentido por aqui. Primeiro que ao olhar para o lado você terá um outro empreendedor focado e isso já é um motivador para não se desconcentrar. Segundo, que caso você perca um pouco alguma linha de raciocínio, basta dar uma voltinha que encontrará alguém para trocar ideias e se inspirar.

Redução de custos

Já pensou em ter um sede da sua empresa sem ter que arcar com todas as despesas individualmente?

A princípio este pode ser seu principal motivador para correr com sua equipe para um coworking. Compartilhando custos, gastos e despesas tudo fica mais leve. O negócio acaba por prosperar numa velocidade maior, e diante do desânimo que possa vir te abater, sempre contará com as experiências dos demais empreendedores do coworker para se apoiar.

Simplicidade nos processos

Não tem burocracia no processo para se tornar um coworker. Obviamente cada coworking tem suas especificidades e regras. Mas, no geral, é bem simples aderir aos escritórios compartilhados. Se você tem colaboradores fora do estado ou da sua cidade, eles também podem utilizar os coworkings como ambiente de trabalho. E pode acreditar, vai ser uma experiência que agregará muito valor para ele e para a empresa também.

Flexibilidade

Não há exigências de horários, assim como no home office você é o responsável por seus horários e a sua equipe também pode assumir esse auto gerenciamento. Com o diferencial de que terá um local para organizar suas demandas e atividades, sem precisar misturar ambiente de trabalho com sua casa e a vida pessoal. Assim como os horários são flexíveis os dias da semana que você comparecerá ao coworking também. Ah, e talvez, a principal vantagem: fazendo seus próprios horários é possível fugir dos grandes fluxos do trânsito das grandes cidades.

Espaços coletivos

Salas de reuniões, espaços para eventos, cursos e palestras. Quer algo mais funcional que compartilhar despesas do seu ambiente de trabalho e ainda ter salas estruturadas para atividades como estas? Um treinamento interno ou até mesmo aquela reunião com um cliente que você quer impressionar, podem ser feitos em locais específicos e de grande inspiração dentro de um coworking. Ou mesmo uma estrutura de internet para encontros à distância, são algumas das opções para quem utiliza os escritórios compartilhados.

Networking

Já falamos disso aqui, mas é sempre válido reforçar, principalmente para quem está começando a empreender. O contato que se estabelece com outros profissionais dentro dos coworkings é um grande fator a se considerar. Não basta ter uma empresa é preciso que ela esteja conectada com o mercado. Logo, dentro dos coworkings é possível estabelecer parcerias em novos projetos, reconhecer potenciais profissionais, divulgar sua marca e, principalmente, crescer como empresa.

Mas, há espaço para pequenas empresas?

Se tem um lugar que tem espaço para todos os modelos de negócio são os coworkings. Se a dúvida era se o modelo de negócio atende suas expectativas acredite, a margem de erro é quase nula. Afinal, você tem liberdade para fazer testes, perceber se tem a ver com seu perfil e aí sim decidir qual a melhor forma de usar desses espaços a seu favor.

Já está convencido de que atuar em um coworking pode trazer inúmeras vantagens para o seu negócio?

Acesse esse link e conheça nosso parceiro Rex coworking
Compartilhe:
Continue Lendo →

terça-feira, 18 de dezembro de 2018

5 razões para contratar uma agência de Gestão de Redes Sociais


Não é novidade que as redes sociais hoje têm um papel fundamental na imagem de uma empresa, através do relacionamento e, principalmente, no atendimento que ela oferece aos seus seguidores. Elas são consideradas canais eficientes de comunicação com diversos públicos: formadores de opinião, concorrentes, clientes e futuros. A fim de valorizar e tornar essa prática ainda mais assertiva, a Gestão de Redes Sociais deixou de ser um diferencial e tornou-se uma necessidade para muitas empresas.

Se você já identificou a necessidade da Gestão de Redes Sociais para o seu negócio, provavelmente deve estar se perguntando: “Como fazer a Gestão de Redes Sociais da minha empresa?”, certo? Talvez a solução seja a contratação de serviços especializados de uma agência.

Abaixo, listamos algumas razões para contratar uma agência de Gestão de Redes Sociais para o seu negócio.

Confira 5 razões para contratar uma agência de Gestão de Redes Sociais!

1 – Custo-benefício

Essa, sem dúvidas, é uma das principais vantagens em tempos de crise, pois a ideia é reter custos sem comprometer a qualidade do serviço. A Gestão de Redes Sociais feita por uma agência especializada exigirá menos recursos financeiros por parte do seu negócio do que a contratação de colaboradores, por exemplo, e trará expertise e experiência ao serviço de Gestão de Redes Sociais.

2 – Estratégia e Resultados

Ao negociar a Gestão de Redes Sociais do seu negócio com uma agência, você poderá construir em conjunto com ela uma estratégia especifica para o seu caso, focada na sua ideia principal: seja ela de vendas, de imagem, de campanha institucional e etc. Assim, uma equipe especializada lhe apresentará um planejamento com garantia e indicativos de eficiência.

3 – Aumento de especialidades

Uma agência especializada em Gestão de Redes Sociais possui um quadro de colaboradores bem variado e repleto de especialidades. Ao contratar esse serviço de Gestão de Redes Sociais, saiba que a sua estratégia terá funções distintas e que cada uma delas será executada por profissionais capacitados e experientes, com diferentes especializações.

4 – Ferramentas profissionais

Uma boa Gestão de Redes Sociais precisa contar com ferramentas que agilizem e qualifiquem os processos necessários. Uma agência especializada e preparada utiliza, em seu fluxo de trabalho, os melhores softwares e aplicativos, capazes de qualificar a sua estratégia de Gestão de Redes Sociais.

5 – Profissionalização e resultado

Ao apostar na qualificação da sua estratégia de Gestão de Redes Sociais através da contratação de uma agência, você terá comprovação da eficiência do seu investimento através de relatórios completos. Suas redes sociais terão mais seguidores, mais compartilhamentos, conteúdos cada vez mais relevantes e, com isso, o aumento de visibilidade e até mesmo vendas!

Além da visibilidade, o desejo de todo o empreendedor é aumentar o faturamento. Ao contratar uma agência de marketing digital, que é focada em acelerar as suas vendas, a Gestão de Redes Sociais virá como peça fundamental em uma estratégia de marketing digital, que engloba diversos serviços, capazes de fazer o seu negócio vender mais efetivamente. 

Inscreva-se em nosso blog e fique por dentro de nossas novidades

Estamos constantemente produzindo conteúdo que pode ajudar na sua jornada empreendedora!!
Compartilhe:
Continue Lendo →

sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

A importância da gestão de mídias sociais para a sua empresa


A gestão de redes sociais têm adquirido crescente importância e necessidade, assumindo um papel indispensável para o sucesso de empresas dos mais variados portes e segmentos, sendo consideradas uma das estratégias de marketing digital mais eficazes.

Pensando nos benefícios para a sua empresa, ter uma agência de marketing digital especializada para realizar a gestão de redes sociais será um diferencial e auxílio direto na atração e captação de leads qualificados.

Por isso, tenha muito cuidado com experimentos e erros, a informação nas redes sociais são muito rápidas e poderão prejudicar sua marca em segundos. Sendo assim, realizar a gestão de redes sociais de forma profissional, poderá ser uma economia de grandes resultados para a sua empresa.

Abaixo listamos alguns benefícios para você contratar uma agência de marketing digital para realizar a gestão de redes sociais para a sua empresa. Confira!

1 - Oportunidade de gerar novos negócios para a sua empresa, atraindo novos leads e qualificando o relacionamento com seus clientes.

2 - Com a gestão de redes sociais você poderá se comunicar com muitas pessoas ao mesmo tempo, enviar avisos e notícias ou, simplesmente, falar sobre sua empresa.

3 - Quando a empresa investe na gestão de redes sociais para divulgar seus serviços e produtos, aumenta a sua reputação digital e qualifica a estratégia de marketing digital, garantindo que a marca esteja sempre próxima ao público, sendo lembrada e reconhecida.

4 - Utilizando o perfil corporativo para a gestão de redes sociais, as empresas conseguem manter o relacionamento direto com seus clientes, apresentando soluções de forma rápida e segura.

5 – Com a realização de campanhas de marketing digital, utilizando gestão de redes sociais para realizar o direcionamento para landing pages, por exemplo, você terá facilitadores para a atração e captação de leads qualificados, ou seja, mais negócios para a sua empresa.

E você, gostaria de ter uma agência de marketing digital para realizar a gestão de redes sociais da sua empresa?

Caso você conheça algumas vantagens de utilizar a gestão de redes sociais que não falamos nesta publicação do blog, compartilhe conosco na seção de comentários abaixo!

Inscreva-se em nosso blog e fique por dentro de nossas novidades

Estamos constantemente produzindo conteúdo que pode ajudar na sua jornada empreendedora!!
Compartilhe:
Continue Lendo →

quinta-feira, 29 de novembro de 2018

10 RAZÕES PARA AS PEQUENAS EMPRESAS TER UMA LOGOMARCA PROFISSIONAL


Todos nós conhecemos o logo da Nike, mas você sabia que ela custou apenas $35 dólares? Ou que o primeiro logo do Twitter custou apenas $15 dólares?

Pense em todas as marcas mais reconhecidas do mercado. Agora visualize seus logos. São fáceis de reconhecer, certo? Isso ocorre porque os logotipos existiam bem antes do início da era do marketing. Considere a Apple sem a maçã ou a Nike sem o seu símbolo.

Um logo de pequena empresa é provavelmente a ferramenta mais crítica no arsenal de promoção dos produtos. Não é apenas uma marca aleatória. Ele dá à sua pequena empresa uma identidade que representa seus valores principais e a sua missão. Se executado de forma correta, essa identidade pode imediatamente vender a sua marca para clientes em potencial. Um design de logo de empresa ruim vai deixar seus clientes longe. Não ter nenhum logotipo, no entanto, é um erro bem maior ainda.

Seu Logotipo Não É Sua Marca

Antes que olhemos nos 10 motivos por que é vital criar um logo para a sua empresa, vamos manter uma coisa clara: Seu logo representa a sua marca, mas ele não é a sua marca. Através das cores, fontes de logo de empresa e design de logo, ele retrata a personalidade da sua empresa, assim como a roupa que você está usando transmite quem você é. As roupas que você usa não são você, mas elas revelam seu caráter e personalidade aos outros.

Portanto, desenvolver seu logo deve tomar um pouco do seu tempo. É um esforço estratégico que irá impulsionar toda a sua publicidade no futuro. Ele não deve ser tratado de qualquer forma.

Então Quem É Você?

Mesmo se a sua empresa é muito pequena, ela precisa de uma identidade. Seu mercado-alvo deve saber quem você é. Um excelente logo é uma das melhores formas de alcançar o reconhecimento. Ele pode atrair seu público-alvo e diferenciar você dos concorrentes. Sem mais delongas, aqui estão 10 motivos pelos quais a sua pequena empresa deve ter um logo.

A Primeira Impressão É A Que Fica

Seu logotipo é a cara da sua empresa e como dizem por aí, “Você tem apenas uma chance de criar uma primeira impressão”. Você quer que o nome da sua empresa apareça em texto comum ou, ao invés disso, com um design incrível? Você não iria querer que essa fosse a primeira impressão que os clientes veem, correto? Não. Você provavelmente quer que os seus clientes fiquem impressionados logo de cara.

Um logo é uma excelente forma de fazer uma boa impressão em seus clientes em potencial desde o início. Eles vão ter bastante tempo para te conhecer melhor no futuro. No começo, ter um logo diz muito sobre a sua empresa.

Deixa Você Reconhecido

Um logotipo de empresa deve ser fácil de reconhecer em impressões pequenas ou grandes. Você quer que os seus clientes reconheçam a sua empresa com facilidade, não importa se é um anúncio digital no telefone de alguém, em uma camiseta ou em um outdoor. Seu logo deve ter um design simples e não deve competir com os logos de outras empresas. Você não quer iniciar uma campanha de publicidade com algo que os clientes podem confundir com um logo de marca registrada.

E você deve saber que ter um logo que parece uma marca registrada de outra pessoa pode trazer para a sua empresa problemas legais. Logos populares são conhecidas no mundo todo, não importa a mensagem contida ali.

Promove a Fidelidade de Marca

Além de impulsionar o reconhecimento de marca, seu logo também pode ser uma ferramenta efetiva para cultivar a fidelidade de marca. Seu logo pode dar aos clientes algo para se apoiar, tanto fisicamente quando mentalmente, se. Baseado na sua marca, é possível distribuir itens promocionais ou anúncio que mostram o seu logotipo.

Várias empresas dão canetas gratuitas e camisas da empresa com o logotipo bem mostrado nelas. Embora isso possa ser útil para obter novos clientes, também pode ser uma incrível forma de construir apreciação e fidelidade para a sua marca.

Constrói Confiança em Sua Empresa

Se a identidade de marca está em evidência, os logos com certeza são os grandes responsáveis pelo crescimento. Você pode criar confiança entre os seus clientes com um logo que positivamente comunica a sua mensagem a eles. Se o seu cliente-alvo é uma pessoa jovem que gosta de patinar no gelo, o seu logo não deve parecer que está vendendo para um adulto mais velho. Pessoas mais velhas podem preferir um logo com uma fonte serifada mais convencional. Por outro lado, as fontes mais modernas sans-serif podem conquistar mais os jovens. Fontes serifadas são incríveis se você quer transmitir força e longevidade, mas as sans-serif são mais amigáveis.

O mesmo caso se aplica a sua escolha de cores. O azul transmite confiança. Amarelo em excesso faz os seus clientes ficarem ansiosos. As emoções provocadas pelas cores são uma ciência completa, e você pode capitalizar sobre essa informação para criar um design de logo que faz os clientes se sentirem ótimos sobre a sua empresa mesmo antes de terem falado com você.

É Prova do Seu Profissionalismo

Não existe um negócio real sem um logo! A verdade é que embora os logos são simplesmente uma pequena parte das operações do dia a dia da sua empresa, elas ainda são criticamente importantes. Na sociedade em que vivemos, os clientes em potencial adquiriram certas expectativas. Eles imaginam que uma empresa confiável e séria deve ter um logo que se destaca.

Ao criar o seu logo profissionalmente, você automaticamente se destaca do resto dos concorrentes que podem ter desenvolvido seu design em algo da moda e apressado, o que os faz falhar em apreciar completamente o valor do desenvolvimento da marca.

Revela a Sua Identidade

Um dos motivos pelos quais o logo da Nike faz tanto sucesso é o fato que ele reflete o negócio da Nike. A deusa grega da vitória está por trás do nome da Nike, e o símbolo simboliza a habilidade de quase voar que alguém deve ter ao usar o tênis da Nike.

Outros logos de marcas bem conhecidas claramente comunicam o que a empresa faz, o que ajuda os clientes a saber o que eles podem esperar da empresa imediatamente. Isso previne que o cliente se confunda. E existe um excelente motivo pelo qual os logos destacam uma certa imagem.

Cria uma Conexão Emocional

Dê uma olhada em todos os logos famosos. Como eles fazem você se sentir? Os logos são sempre a primeira coisa que constrói a conexão emocional que você tem com as suas marcas favoritas. Considere esses dados de Marketing e Empreendedorismo:
  • 80% dos clientes acham que as cores impulsionam o reconhecimento de marca
  • 93% das decisões de compra são feitas baseadas nas percepções visuais
  • 7% dos clientes dizem que compram um produto por causa da cor
Essa é a razão pela qual sua pequena empresa precisa de um logo que seja especificamente criado para gerar uma reação positiva dos clientes. Se os clientes se conectam ao seu logo, provavelmente não irão esquecer a sua empresa. E se eles possuem boas memórias do seu negócio, eles provavelmente irão comprar seus produtos e serviços novamente. Por outro lado, se o seu logo for criado com um design ruim, isso pode representar más notícias para você. Novamente, você cria a sua primeira impressão com seu logo e como dizem por aí, “Você só possui uma chance para impressionar”.

Destaque-se da multidão com a Sua Logo de Pequena Empresa

Não importa o produto ou serviço que você vende, você terá muitos concorrentes. Isso é um fato. Dessa forma, como se destacar dos seus concorrentes? Bem, um logo é uma ferramenta eficaz que te ajudará a fazê-lo. Você possui poucas chances de se provar. Um logo representa seu negócio visualmente e é uma forte maneira de deixar uma impressão e alimentar a sua identidade de marca. Um logo mostra aos seus clientes que você se importa com eles e quer ser o melhor em sua área.

Cria Consistência

Agora estamos numa era onde as empresas existem em várias plataformas, incluindo sites, blogs, Facebook, Twitter, instagram, panfletos, pacotes informativos, cartões de visitas, etc. Isso significa que a sua identidade de marca deve estar estampada em todos os lugares. Aqui, algum tipo de resistência é crítico, garantindo que a sua empresa está claramente e apropriadamente representada onde quer que ela apareça. Esse tipo de consistência irá garantir que você continue com a imagem profissional e melhore o valor daquela fidelidade de marca forte que você precisa construir.

Aumenta as Expectativas

Após ficar acostumado com as Apples, IBMs e Nikes desse mundo, esperamos que todo negócio tenha algum tipo de aparência profissional na forma de um logo apropriado pelo menos. Se uma empresa não possui esse ativo essencial, por que alguém faria negócios com ela? Sem um logo, todos esses pontos ficam de lado, e nenhum esforço real ainda seria colocado no design, desenvolvimento e manutenção das imagens frontais de uma empresa’. Você pode não pensar ativamente sobre isso (a menos talvez que você seja um designer de logo) mas algo como essa atitude está definitivamente acontecendo e irá ter um grande impacto na escolha de influenciar as pessoas a se cadastrar na sua empresa ou na de um concorrente.

Concluindo

Enquanto você possa ter vários outros problemas para resolver quando estiver construindo a sua empresa, não se esqueça da importância de investir em um logo forte. Um logo profissional para pequenas empresas é um investimento muito bom que valerá a pena no decorrer do caminho. Quanto mais cedo você construir um, melhor será para a imagem da sua empresa.

Se a sua empresa ainda não possui um logo, ou mesmo que tenha um, mas ele precisa de melhorias ou alterações, visite  www.innovamkt.com.br.

Inscreva-se em nosso blog e fique por dentro de nossas novidades

Estamos constantemente produzindo conteúdo que pode ajudar na sua jornada empreendedora!!
Compartilhe:
Continue Lendo →

quarta-feira, 21 de novembro de 2018

MARKETING DIGITAL: O QUE É, SUAS VANTAGENS E FERRAMENTAS



O Marketing Digital cresceu exponencialmente nos últimos anos, não apenas no Brasil, mas em todo o mundo. Apesar de não ser novidade pra ninguém, o que explica esse crescimento? E o porquê as empresas tem investido cada vez mais suas verbas de marketing no ambiente digital? É isso o que você vai entender e pode esperar ao ler esse artigo.

O que é Marketing Digital?

O termo marketing digital, obviamente, deriva de marketing. Antes da internet o Marketing sempre desempenhou papel importantíssimo para empresas (e até pessoas) que desejavam atender as necessidades e desejos de seus consumidores.

Daí derivam-se os famosos 4Ps do Marketing: Produto, Preço, Praça e Promoção. O Marketing, portanto, atuava na composição do produto, nas estratégias de precificação, nos canais de distribuição e, por fim, na Comunicação desse produto/serviço ao mercado.

O Marketing Digital nada mais é do que a adoção de estratégias e ações de marketing no ambiente digital que tem como objetivo promover produtos e serviços e as marcas atreladas a eles.


Como o Marketing Digital afetou o processo de decisão de compra

Antes do Marketing Digital, a decisão de compra do consumidor era limitada pelo tanto de informações que ele possuía acerca de determinado produto. Na maior parte dos casos, as informações estavam concentradas nas mãos das empresas e seus vendedores (portanto, tinham maior poder quando pensamos em estratégias de negociação).
O Marketing Digital veio para inverter essa equação. Com uma infinidade de informações disponíveis na internet (e acessíveis de qualquer local com os dispositivos móveis) sobre qualquer produto ou serviço, os consumidores passaram a deter muito mais poder (por vezes até mais que os vendedores das empresas).

Esse cenário trouxe muitos desafios para as empresas, mas também muitas oportunidades. Na medida em que as empresas hoje estão muito mais expostas do que antes (vide ferramentas como Reclame Aqui, Sites de Avaliações como TripAdvisor ou as próprias Redes Sociais), elas também se tornaram mais transparentes, responsáveis e isso está nivelando o jogo por cima.

Quais as principais vantagens do Marketing Digital?

Como já citado acima, o Marketing Digital alterou radicalmente a dinâmica nos mercados. Separamos aqui 4 vantagens do Marketing Digital em relação ao Marketing Tradicional. São elas:


1-) Mensuração

Talvez a principal vantagem do Marketing Digital em relação ao Marketing tradicional seja o fato de conseguir se mensurar praticamente tudo.
Sempre que esse assunto vem à tona uma célebre frase do famoso John Wanamaker (um dos pioneiros do marketing moderno e um dos primeiros a abrir uma Loja de Departamentos nos EUA), ainda no século XIX que dizia: “Metade do orçamento investido em propaganda é desperdiçado. O problema é que não sei que metade é essa”.

Essa frase foi dita muito antes do advento dos meios de comunicação de massa, mas perdurou por muito tempo depois delas. E ela traz consigo uma questão do Marketing Tradicional que era exatamente a questão da mensuração.

Se no passado uma empresa fizesse uma campanha utilizando os meios tradicionais como TV, Rádio, Jornal e Revistas, por exemplo, seria muito difícil saber quais desses meios estavam trazendo o melhore retorno, ou pior, quais emissoras e programas de rádio, quais títulos de jornais e revistas específicas estavam trazendo os melhores retornos do investimento.

Já no Marketing Digital esse cenário é completamente diferente. Utilizando-se ferramentas específicas de mensuração é possível saber exatamente quais canais estão trazendo melhor retorno e consegue-se esmiuçar essas análises de detalhes. Por exemplo: que campanha específica numa mídia utilizada está trazendo melhor retorno?

Com isso é possível testar variáveis em busca dos melhores resultados, prática muito comum no ambiente Digital.

2-) Segmentação

Outra vantagem do Marketing Digital é a capacidade de segmentação do públicoque hoje podemos atingir. Se no passado as campanhas “de massa” atingiam muitas pessoas (por isso o nome), com grande dispersão, atualmente é possível realizar segmentações incríveis atingindo nichos de mercado com extrema precisão e assertividade.

Alguns exemplos de segmentações comuns:

  • Geolocalização
  • Idade
  • Sexo
  • Interesses
  • Cargo/Profissão
  • Faixa de Renda
Isso só para citar algumas possibilidades. Portanto, o poder de segmentação do público-alvo que o marketing digital e suas ferramentas trouxeram é, sem dúvida, uma das principais vantagens em relação ao Marketing Tradicional.


3-) Custo-Benefício

Por muito tempo, o acesso ao Marketing Tradicional e a utilização dos meios de comunicação de massa foram reservados às empresas de maior porte e com maiores orçamentos. Hoje, no entanto, é possível desde microempresas recém-fundadas até as gigantes multinacionais aproveitarem os benefícios do Marketing Digital.

Com investimentos módicos qualquer empresa (ou pessoa física) poderá utilizar as ferramentas disponíveis do Marketing Digital para atingir seu público-alvo e impactá-lo de alguma forma.

Os investimentos em marketing digital vem crescendo no país ano após ano, mas ainda assim, quando comparado a países desenvolvidos da Europa e América do Norte ainda estamos muito atrás.

Fonte: emarketer.com

4-) Agilidade na implementação (sistemas self-service)

No Marketing Digital tivemos a quebra de alguns “muros”. Um desses muros é o intermediário. No Marketing Tradicional, geralmente você tem a figura do intermediário (geralmente uma agência de publicidade, uma produtora de áudio ou vídeo) e você necessariamente precisava da ajuda de um deles para lidar com os meios de comunicação e espalhar sua mensagem.

Tudo isso era mais custoso (tudo custava mais recursos – humanos, financeiros e, principalmente, de tempo). No Marketing Digital isso mudou completamente. Hoje você não tem essa figura do intermediário na maior parte dos casos (você interage diretamente com a empresa de mídia) e você geralmente possui um sistema self-service em que pode atuar para programar suas campanhas e outras atividades.

Um exemplo prático: Digamos que sua empresa está lançando um novo serviço e você precisa fazer uma campanha para anunciar esse lançamento. Num único diavocê mesmo pode programar uma campanha no Google Adwords (utilizando o sistema de self service deles), lançar uma campanha no Facebook e outra no Linkedin (utilizando a mesma lógica). Sem falar no e-mail marketing que você irá criar e enviar para sua base de contatos (fazendo isso por uma interface intuitiva e amigável), além de fazer um post no seu blog anunciando a novidade.

Percebeu? Em nenhum momento havia um intermediário no meio. Tudo o que você precisou foi: acesso a internet, conhecimentos nessas ferramentas e um cartão de crédito. Tudo isso alterou profundamente a velocidade com que as empresas tem condições de implementar ações de marketing digital para promover seus produtos e serviços.

Principais terminologias do Marketing Digital

Inbound Marketing

O termo Inbound Marketing foi cunhado por um dos fundadores da HubSpot, Brian Halligan, atual CEO da empresa.

O Inbound Marketing é uma estratégia de marketing digital que poderia ser resumida numa frase: “A melhor forma de encontrar o seu cliente, é ser encontrado por ele.” Essa frase atribuída a Martha Gabriel é excelente para contextualizar o Inbound Marketing.

O Inbound marketing, também conhecido como Marketing de Atração, tem como um de seus principais pilares o marketing de conteúdo (veremos abaixo), com o objetivo de criar e compartilhar conteúdos de valor para trazer o público certo para o seu negócio.

Para que essa estratégia funcione, é necessário alinhar o conteúdo produzido com os interesses de seu público, para que você possa atrair um tráfego de qualidade e que faça sentido para o seu negócio, para que, então possa converter parte desse tráfego em leads, fechar negócios e conquistar a fidelidade do cliente no médio a longo prazo.

Um outro conceito-chave que o Inbound Marketing trouxe foi o conceito de Personas.

Personas

O marketing tradicional sempre lidou com o conceito de público-alvo, geralmente definido por características geográficas e demográficas, como por exemplo: Mulheres, de 25 a 45 anos, das classes A e B e residentes na Grande São Paulo. Esse é um exemplo clássico de perfil de público-alvo.

Já o conceito de Persona busca trazer um personagem fictício mas baseado em pesquisas com clientes reais para formar uma figura de seu “comprador ideal”. Com uma Persona (ou algumas) bem definida fica mais claro para os profissionais de marketing digital atuarem com ações mais bem direcionadas e assertivas, poupando tempo e dinheiro.

Marketing de Conteúdo

O Marketing de Conteúdo é a estratégia de marketing digital que visa atrair tráfego qualificado para seus canais (site, blog, mídias sociais) oferecendo conteúdo de qualidade e valor que contribua para gerar mais leads e vendas de seu produto ou serviço.
Atualmente existem diversos formatos de conteúdo que podem ser criados, veja os mais relevantes:


Posts de Blog – O meio mais difundido. Desde os primórdios da web o formato texto, geralmente em blogs, tem sido um dos mais utilizados.


Vídeo Post – Posts no formato de vídeo, seja no Blog ou nas mídias sociais. Com a expansão da banda de internet na última década os vídeos tiveram um crescimento exponencial. Basta rolar sua timeline em qualquer rede social para ver isso. O Youtube é o segundo maior buscador da internet. Isso diz muita coisa.


Infográficos – Um meio de apresentar informações relevantes com criatividade e leveza por meio de gráficos caprichosos no design. Um formato que também cresceu muito nos últimos anos.


Podcasts – Em formato de áudio, com o avanço dos dispositivos móveis, cresceu muito também e hoje conquista um público grande e geralmente mais qualificado.


Apresentações – O slideshare é um exemplo e uma das ferramentas da web que possuem apresentações de todos os tipos. Também um outro formato de conteúdo a ser apresentado.


Webinars – São apresentações e palestras em vídeo. Para aprofundar mais em algum conteúdo são o formato ideal e também são grandes geradores de leads.



Esses são alguns deles, mas existem muitos outros que poderíamos citar.

SEO (Search Engine Optimization)

A sigla SEO pode ser traduzida como Otimização para Mecanismos de Busca, ou seja, o conjunto de atividades desenvolvidas com o objetivo de posicionar bem um site nos buscadores para determinadas palavras-chave relevantes àquele negócio.


Para ter sucesso numa estratégia de SEO é necessário olhar e ter estratégias para dois horizontes complementares:
  • O usuário final (ou seja, a pessoa que irá consumir o conteúdo do seu site, geralmente um potencial cliente)
  • O robô (ou os robôs) dos buscadores, também conhecidos como algoritmos.
Todo site deve ser (ou pelo menos deveria ser) planejado tendo em vista esses dois tópicos. Como ter um site que seja ótimo tanto para o usuário final que encontrá-lo na web quanto para os algoritmos dos buscadores?

Esse é um desafio e tanto para a maior parte das empresas que traçam suas estratégias de marketing digital, pois elas sabem que o investimento numa estratégia de SEO de qualidade pode render ótimos dividendos no médio e longo prazo.

Para entender melhor o SEO, geralmente subdividimos esse tópico em duas frentes: SEO On Page e SEO Off Page.

SEO On Page

O SEO On Page diz respeito a todos os itens que podem e devem ser otimizados “dentro” da página ou site.

Abaixo estão os alguns dos principais fatores de otimização On Page:


Título (ou meta title): Trata-se do título principal de determinada página. É um dos principais recursos de otimização on page e é altamente recomendado utilizar a palavra-chave principal daquela página no título.


URL amigável: Uma URL fácil de se ler e compreender. Vamos a um exemplo: Em vez do usuário ter um site com uma página: meusite.com.br/?p=654 a URL amigável seria: meusite.com.br/marketing digital. O final da segunda URL é muito mais fácil de se ler e entender. Isso é uma URL amigável.


Meta Description: Trata-se de uma descrição resumida do que o usuário irá encontrar naquela página. Pode ou não ser usada pelo Google para a exibição na SERP (Search Engine Results Page – ou Página de Resultados de Busca). Recomenda-se novamente utilizar a palavra-chave na descrição da página.


Heading Tags (ou Hierarquia de conteúdo): Essas tags priorizam e trazem hierarquia para os títulos e subtítulos de determinada página. É altamente recomendável utilizá-las pois facilita muito a legibilidade do texto, e, obviamente, a leitura do usuário.


Qualidade do conteúdo: A cada atualização em seus algoritmos, o Google demonstra que está cada vez melhor em trazer resultados de busca relevantes. Portanto, quanto mais qualidade seu conteúdo tiver, maiores as chances do algoritmo considerar suas páginas para determinados termos. E o “segredo” para criar um bom conteúdo é sempre ter em mente como ponto central o seu cliente ou usuário final. Pode parecer clichê, mas são poucas empresas que realmente aplicam esse discurso. Ex: Quantas empresas, de fato, entrevistam seus clientes e prospects para efetivamente se aprofundar em que tipo de necessidades possuem, que tipos de conteúdos valorizam etc, e, a partir daí, orientam seus conteúdos de marketing digital com as novas descobertas?


Título das Imagens: Todas as imagens do seu site devem estar todas nomeadas (mesma lógica que URLs amigáveis – para facilitar o encontro do usuário numa pesquisa por imagens, por exemplo). Ex. Em vez de subir uma imagem chamada “DSC00023354.jpg”, suba uma imagem com o título “resultados-google.jpg”. Procure, sempre que possível, utilizar as palavras-chave nas imagens também.


Tag ALT nas Imagens: A tag alt é uma tag em que você insere numa imagem e ela é responsável por exibir um texto para deficientes visuais (com leitores de tela), além de exibir o texto em caso de imagem quebrada no site. Portanto, fique atento às descrições das imagens do seu site: procure utilizar a descrição daquela imagem e, sempre que possível, insira a palavra-chave relacionada ao tema principal de determinada página.


Tamanho das imagens: Ter imagens muito pesadas no seu site pode impactar negativamente o seu carregamento, tornando-o mais lento, prejudicando, portanto, a experiência do usuário e impactando negativamente o SEO. Sobretudo com o crescimento do mobile nos últimos anos é imprescindível olhar com cuidado para o tamanho das imagens de seu site. Procure deixar as imagens mais leves possíveis (com poucos Kbytes).


Linkagem interna: Inserir links entre páginas internas do seu site também é uma maneira de realizar uma otimização On Page no SEO. Sempre que possível, crie links internos. Isso auxilia, muitas vezes, o usuário a descobrir novos tópicos de seu interesse, fazendo com que ele fique mais tempo no seu site.


Velocidade de Carregamento: Quanto mais rápido seu site carregar, melhor. Lembre-se: O Google tem por objetivo oferecer o melhor serviço e experiência de busca ao usuário. Portanto, ter um conteúdo incrível com um site lento fará com que seu site seja penalizado no ranking orgânico.


Design Responsivo: Nos últimos anos o mundo tornou-se cada vez mais mobile. Portanto, não faz sentido ter um site que não seja otimizado para os dispositivos móveis. Desde 2015 as buscas móveis são maiores que as buscas em desktop. No entanto, tome cuidado: mesmo que seu site já seja responsivo, é bom ficar de olho em ferramentas como o Google Search Console que indica se a experiência mobile para os usuários está ok ou se tem problemas.



Parece muita coisa, não é? Mas uma dica é trabalhar com o WordPress, por exemplo. Ele facilita demais a vida de quem atua com marketing digital e SEO pois tem vários itens nativos e plugins que auxiliam a otimização de SEO On Page.

SEO Off Page

A otimização de SEO Off page está ligada a um termo chamado em inglês chamado link building, que numa tradução literal seria algo como: “construindo links”. Quem atua com marketing digital há algum tempo conhece bem esse termo.

E o que é o Link Building? Sem dúvida é o fator mais importante desse tipo de otimização em SEO e tem a ver com a origem do Google e a forma como ele utilizou seus algoritmos para dar relevância às páginas.


Link Building: De forma muito resumida, em seu início, a empresa criou o Page Rank, um mecanismo que dava relevância a uma página com base nos outros sites em que linkavam pra ele. O algoritmo do Google avaliava tanto a quantidade como a qualidade desses links (e, a partir disso, montava um ranking dos melhores resultados). Portanto, quanto mais e melhores links apontarem para o seu site, mais relevante ele se tornará. E quando falamos em qualidade de links estamos falando de sites que sejam relevantes e relacionados ao seu negócio apontando para o seu site (você terá mais relevância com sites com autoridade em seu mercado do que outros sites que possuem pouca relevância com o assunto que você trata).

E como conseguimos links para nosso site? Existem várias estratégias possíveis, mas a maior parte delas vai passar por um bom conteúdo. Pense bem: Por que um site iria apontar um link para o seu? Provavelmente porque encontrou um conteúdo interessante para referenciar. Algumas estratégias: Postar conteúdos em portais de conteúdo inserindo um link para o seu site, trocar links com outros sites, matérias na imprensa, compartilhamento em mídias sociais, respostas em fóruns, entre várias outras.

Autoridade do domínio: Outro fator que impacta no SEO Off Page: Quanto mais antigo seu domínio, mais autoridade ele tende a ter. É claro que esse fator também está ligado à quantidade e qualidade do conteúdo publicado por aquele domínio ao longo do tempo.


Web Analytics

Como vimos anteriormente, ter a possibilidade de mensurar todas as ações realizadas no ambiente digital é um dos grandes trunfos em relação ao marketing tradicional. Dessa forma, é natural que existam ferramentas que auxiliem a coletar esses dados para que você possa retirar informações valiosas.

Uma das principais ferramentas para analisar tudo o que acontece com o seu site é o Google Analytics. O melhor de tudo é que ela é gratuita, portanto, se você ainda não mensura informações do seu site, comece “ontem” mesmo!

É claro que para cada necessidade existem ferramentas específicas. Por exemplo: Qualquer ferramenta de tráfego pago como o Google Adwords, o Facebook e o Linkedin tem seus próprios painéis de controle e relatórios em que você pode extrair os dados de suas campanhas, fazer análises e tirar insights.

Outras ferramentas para mensuração de atividade em apps, além do Google Analytics (sim, também serve para apps!) também são comuns como a App Anniee a Localytics.

Tráfego Pago (PPC – Pay per clique – ou pague por clique)


As ferramentas de PPC (Pague por Clique) são amplamente conhecidas e difundidas no marketing digital. As mais conhecidas nós já citamos nesse texto: Google Adwords, Facebook Ads (que também contempla anúncios no Instagram) e Linkedin Ads.

Sua principal característica é, com o nome já diz, atrair tráfego segmentado e qualificado para o seu site utilizando a audiência que essas plataformas possuem. Nessas redes, as principais modalidades de anúncios se concentram em realizar um pagamento apenas se um usuário clicar no seu anúncio.

As ferramentas de PPC são importantíssimas em basicamente qualquer estratégia de marketing digital, principalmente para as pequenas e médias empresas.

Apesar desse modelo geralmente funcionar muito bem, existe uma constatação quase unânime no mercado referente ao aumento dos custos envolvidos ao longo do tempo nas campanhas de PPC. A cada ano os cliques tem um aumento nos preços para basicamente alcançar as mesmas posições/alcance de antes. Sem dúvida esse é um fator de risco para qualquer empresa que dependa quase que exclusivamente desse modelo para gerar novos negócios.

Mídias Sociais

Talvez o termo mais difundido e conhecido do público em geral, as mídias sociaisrepresentam grande importância nas estratégias de marketing digital das empresas. Não poderia ser diferente. Essas empresas arrebanham um volume monstruoso de usuários em todo o mundo, seja na casa de centenas de milhões ou mesmo bilhões de pessoas acessam essas plataformas diariamente.

Para citar as mídias sociais mais relevantes:
  • Facebook
  • Instagram
  • Youtube
  • Linkedin
  • Twitter
  • Pinterest
As mídias sociais são um universo gigantesco e você deve saber explorá-lo. Você deve entender com quem sua empresa irá se comunicar para criar uma linguagem própria e autêntica para influenciar seus seguidores.

Pode não parecer como usuários das mídias sociais comuns (pessoas físicas), mas muitas das marcas presentes nessas mídias estão lá com muitos objetivos e estratégias por trás de cada postagem nessas plataformas.

É claro que também existem outras tantas marcas que não sabem muito bem lidar com esse universo e não conseguem tirar real proveito dessas ferramentas.

Veja um gráfico da Hootsuite em que mostra as principais mídias sociais mais ativas do Brasil:

Fonte: Slideshare


E-mail Marketing

Engana-se quem presume que o e-mail marketing perdeu sua força e não funciona mais como estratégia de marketing digital. Sua força ainda é imensa (se, obviamente, bem trabalhado). Pergunte a qualquer pessoa que trabalha na área de marketing de um e-commerce, por exemplo, para entender o quão importante continua sendo a implementação de uma estratégia definida de e-mail marketing.

É por meio da permissão de seus potenciais clientes e clientes que você estabelecerá um relacionamento com esse público, seja oferecendo conteúdo de valor, seja divulgando eventos, novidades, lançamentos ou mesmo fazendo ofertas de produtos e serviços.

Ao longo dos anos, as taxas de aberturas de e-mails caíram, é bem verdade. No entanto, isso não tira o “brilho” dessa importante ferramenta de marketing para se comunicar com seus clientes e potenciais clientes.

Atualmente são diversas as ferramentas de e-mail marketing, vamos falar de algumas delas:

Mailchimp

O MailChimp é uma poderosa ferramenta para quem deseja iniciar no universo do e-mail marketing. Trata-se de uma plataforma muito intuitiva em que você pode criar listas personalizadas, realizar a segmentação de campanhas, construir automações, realizar testes A/B e mensurar os resultados com relatórios

O Mailchimp possui uma versão gratuita que permite o disparo de até 12 mil e-mails por mês para uma lista de, no máximo, 2 mil contatos.

Caso tenha interesse em se aprofundar nessa ferramenta, temos um curso de mailchimp completo para você explorar e dominar a plataforma.

ActiveCampaign

O Active Campaign é outra ferramenta incrível, muito focada na criação de fluxos de automação de marketing. Para empresas que desejam atuar com automações e fluxo de nutrição, o Active Campaign facilita sua vida.

Além disso, o Active Campaign conta com um CRM dentro da plataforma para que você possa gerenciar seus contatos. Nele você consegue visualizar um funil das oportunidades que estão sendo trabalhadas.

Os planos iniciam com o valor de 9 dólares por mês para uma lista de até 500 contatos.

Aweber

O AWeber é uma plataforma similar às demais anteriores (mas não possui CRM como o ActiveCampaign) e também é bastante intuitiva e simples de usar.

Da mesma forma que no Mailchimp e ActiveCampaign você poderá criar listas personalizadas, campanhas de automação, extrair relatórios, etc.

Uma das vantagens do Aweber é que você poderá testar a ferramenta por 30 dias para ver se gosta e se adapta às suas necessidades. Após esse período você verá que os planos partem de 19 dólares por mês.

Vídeo Marketing

Como vimos, com o crescente aumento na velocidade de banda da internet, os vídeos se tornaram cada vez mais populares e cada vez mais importantes nas estratégias de marketing digital das empresas.

O formato de vídeo é um dos principais para conseguir engajamento com seu público, pois por meio dele você conseguirá transmitir:
  • Mais conteúdo e proposta de valor
  • Mais Empatia
  • Mais Transparência
  • Mais Credibilidade (transmitindo seu conhecimento)

Além disso, numa pesquisa feita pela Hubspot com mais de 3000 pessoas dos EUA, Alemanha, Colômbia e México em que perguntavam: “Em geral, qual tipo de conteúdo você mais deseja ver no futuro?” a maior parte dos pesquisados respondeu que era vídeo com 53% das intenções.

Planejamento de Marketing Digital

Você já notou até aqui a amplitude de estratégias possíveis de serem aplicadas no Marketing Digital. Dessa maneira, é imprescindível que exista um planejamento, uma linha mestra que norteará todas as ações nas mais diversas frentes de atuação para que os objetivos estipulados sejam atingidos.

E é exatamente esse o papel do Planejamento de Marketing Digital.

Qual a Estrutura de um Planejamento de Marketing Digital?

A seguir apresentaremos uma estrutura de planejamento que consideramos adequada utilizar para quem pretende organizar as estratégias e atividades de marketing a serem aplicadas no ambiente digital. Vamos a ela:

1-) Diagnóstico

É fundamental entender onde a empresa se encontra hoje. O diagnóstico nada mais é do que uma “fotografia” da situação atual em relação a algum aspecto específico (no nosso caso, no Marketing Digital).

Existem algumas ferramentas para isso, talvez a mais conhecida seja a Matriz SWOT(do inglês: Strengths, Weaknesses Opportunities, Threats – ou Forças, Fraquezas, Oportunidades e Ameaças). Apesar de alguns considerarem inadequada ou mesmo ultrapassada, ela é um excelente exercício para entender onde a empresa está.

2-)Público-Alvo

Entender a fundo o seu público-alvo e suas personas é fundamental para realizar um bom planejamento de marketing digital. Tudo parte disso.

Se possível, realize entrevistas com as pessoas que utilizam seu produto/serviço. Nessas entrevistas, busque descobrir algumas informações importantes, tais como:
  • Como utilizam o produto ou serviço?
  • Como e onde elas buscaram informações antes de efetuar a compra?
  • Quais os passos dados / tempo utilizado antes de concluir a compra?
  • O que acham do preço em relação ao valor percebido?
  • Quais concorrentes mais tem chamado a atenção delas?
  • Existem alguém que influenciou a compra?
  • Quem geralmente é o decisor da compra?
Essas são apenas algumas perguntas (de muitas outras) que você deve obter respostas de seus próprios clientes. Isso irá fazer com que você conheça mais a fundo seu cliente e dará muitos insights que serão utilizados em sua estratégia de marketing digital.

Objetivos

Não existe um planejamento sem que você tenha definido um (ou alguns) objetivos. O que você deseja atingir ao final do Plano? Alguns exemplos:
  • Aumento de tráfego no site
  • Aumento das taxas de conversão do site
  • Aumento na geração de leads (percentual e números absolutos)
  • Aumento do Nº de clientes
  • Aumento da Receita total
  • Aumento de Market Share
  • Aumento percentual (%) de Receita vindas de novos canais
  • Aumento percentual (%) de Receita vindas de novos produtos

Obviamente todos esses objetivos devem ser específicos e mensuráveis e podem ser complementares. Alguns exemplos acima também envolvem outras áreas da empresa, como a área comercial, portanto é importante que os times estejam bem alinhados na busca dessas metas em comum.

Plano de Ações e Orçamento

Com as etapas anteriores concluídas é hora de planejar as ações que serão executadas com base no orçamento disponível. Tendo em mente o(s) objetivo(s) traçado(s) você planejará quais ações poderão trazer melhor retorno considerando: investimento, prazo de implementação, potencial de retorno, recurso de pessoal, dentre outras variáveis.

Nem sempre é simples definir quais serão as ações a serem implementadas. Sabemos que o “papel aceita tudo” (e isso tanto pode ser muito bom quanto pode ser um tiro no pé). Ao traçar seu plano de ação, lembre-se de que os recursos financeiros, de pessoas e de tempo são finitos, portanto, seja realista e tenha os pés no chão (o que é diferente de ser pessimista).

Cronograma de Implementação

Após desenhadas as ações é hora de encaixá-las num cronograma que faça sentido (tenha começo meio e fim). Atualmente com as mudanças acontecendo cada vez mais rápido, muitas vezes não faz sentido ter cronogramas muito extensos como de 24 a 36 meses (depende do tipo de negócio, é claro, mas via de regra não tem mais lógica).

Dessa maneira hoje vemos muitas empresas trabalhando com cronogramas trimestrais, semestrais e anuais. O importante é montá-lo e ser o mais fiel possível a ele (sabendo que, sim, ocorrerão mudanças ao longo do caminho, o que é natural num ambiente em constante mudança).

Mensuração e acompanhamento

Por fim, como saber se o que você planejou e está executando está no caminho certo? Você precisa de métricas para acompanhar a evolução do plano ao longo do tempo. Muitas vezes você terá que mexer no que já estava planejado pois quando você colocou o “time em campo” notou que os resultados foram muito diferentes do que estava planejado.

Isso é comum, mas você só conseguirá ser efetivo dessa forma se utilizar ferramentas que lhe auxiliem a coletar e capturar dados importantes para tirar insights e ajudá-lo na tomada de decisão.

Tendo esses pilares desenvolvidos você já pode dizer que tem um Planejamento de Marketing Digital em mãos pronto para executar. Ele será seu Guia nas atividades do dia a dia e lhe ajudará a definir prioridades e focar no que realmente é importante.


Um dos mais importante pilares do Marketing Digital: Seu Site

Ter um website de qualidade é um pré-requisito para que todas as estratégias anteriores citadas possam ser desenvolvidas e aplicadas com êxito.

Ter um ótimo site não garante que você terá sucesso no Marketing Digital. Agora, não ter um ótimo site garante que você não terá sucesso.

E por que dizemos isso? Pois é no seu site que a maior parte do tráfego e das conversões acontecerão. Ali está a base de todo o trabalho de marketing nos meios digitais. Podem existir exceções, sim, no entanto, para 99% das empresas o site é o carro chefe de toda a estratégia de marketing digital.

Dito isso, que elementos são importantes observarmos se quisermos ter um ótimo site? Vejamos alguns deles:

Plataforma / Tecnologia

Sei que atualmente quase não se utiliza mais, mas lembra-se dos sites em Flash? Se você optar por construir seu site em Flash você praticamente descartará as estratégias de marketing de conteúdo e SEO uma vez que o Google e outros mecanismos de busca não leem sites desse gênero.

Para não ser tão radical, existem outras plataformas no mercado atualmente em que você pode construir o seu site você mesmo e que também tem problemas sérios quando falamos em estratégias de SEO. Isso porque a tecnologia em que eles foram desenvolvidos não são compatíveis (ou melhor, não dão boa “leitura” para o algoritmo dos buscadores escanearem esse conteúdo).

Portanto, antes de iniciar a construção de seu site, pesquise muito e, se possível, converse com especialistas para que possa tomar a melhor decisão.

Conteúdo


Já vimos no tópico sobre Marketing de Conteúdo sobre a importância dessa estratégia na obtenção de leads para o Marketing Digital. E onde provavelmente ficará hospedado a maior parte do conteúdo que você criar? No seu site, é claro!

Você pode ter no seu site um Blog, por exemplo, em que você insere seus materiais produzidos ali. Pode ter também uma área de vídeos (webinars, entrevistas, etc), que, apesar de também estarem em sites como Youtube e Vimeo também ficarão “embedados” no seu site.

Design

Uma parte importantíssima que muitas vezes é deixada de lado. Seu site pode ter um bom conteúdo e ser bem otimizado, mas quando as pessoas acessarem suas páginas elas terão dificuldades em passar mais tempo no seu site por uma questão do design das páginas.
Imagine cores que não combinem, layout nada agradáveis de se ler, enfim, um convite para que o seu usuário saia rapidamente de seu site (e isso tem impacto direto no ranking dos buscadores – o tempo em que uma pessoa passa navegando por determinadas páginas do seu site influenciará sua posição – quanto mais tempo, geralmente, melhor).

Por isso é muito importante investir no design de seu site e, de tempos em tempos, analisar o que pode ser melhorado no aspecto visual e funcional de seu site.

Usabilidade


Segundo a Wikipedia, “Usabilidade é um termo usado para definir a facilidade com que as pessoas podem empregar uma ferramenta ou objeto a fim de realizar uma tarefa específica e importante.”

Um site deve ser simples e fácil de navegar, deve ser fácil para que o usuário conclua algumas atividades-chave, como por exemplo:
  • Enviar um formulário de contato
  • Realizar a compra de um produto
  • Assinar uma newsletter
  • Encontrar uma informação específica
Um excelente livro que trata desse tema é o: Não me faça pensar do Steve Krug. Recomendo fortemente sua leitura pra quem deseja iniciar e entender mais desse universo.

Versão Mobile

O mundo é cada vez mais móvel. Os acessos de sites via dispositivos móveis já ultrapassaram o de desktop há algum tempo. Portanto, não ter um site otimizado para celulares e tablets fará com que sua estratégia e ações de marketing digital seja comprometida.

Ter um site responsivo deixou de ser uma opção há alguns anos e tornou-se uma obrigação. O próprio Google dá mais relevância em seus buscadores a sites responsivos em detrimento de sites não otimizados para mobile. Só esse fator já seria suficiente para você se preocupar caso seu site não esteja otimizado para mobile.

Velocidade de Carregamento

Outro fator muito importante é ter um site leve, que carregue rapidamente. Por conta da crescente utilização de dispositivos móveis e a internet via 3G ou 4G, os sites oferecerão melhor experiência ao usuário se carregarem rapidamente. Isso tem sido uma própria “exigência” do Google para sites que desejam estar bem ranqueados.

Mesmo que seu site tenha cumprido com sucesso todos os requisitos anteriores mas falhar na velocidade de carregamento você poderá ter problemas no ranqueamento dos buscadores, sobretudo o Google.

Você pode testar a velocidade do seu site (e corrigir possíveis falhas) em ferramentas do próprio Google como o PageSpeed Insights e o Think with Google (testa velocidade de carregamento em dispositivos móveis utilizando tecnologia 3G)

Inscreva-se em nosso blog e fique por dentro de nossas novidades

Estamos constantemente produzindo conteúdo que pode ajudar na sua jornada empreendedora!!
Compartilhe:
Continue Lendo →